NOTÍCIAS

Voltar

CERVANTES SALVA MATCH POINTS E É CAMPEÃO INVICTO DO ATP CHALLENGER FINALS

Em final emocionante, espanhol derrota compatriota Muñoz de la Nava no tiebreak do terceiro set

São Paulo, 29 de novembro de 2015

Em uma final cheia de reviravoltas, O espanhol Iñigo Cervantes conquistou o título da quinta edição do ATP Challenger Tour Finals, neste domingo, no Esporte Clube Pinheiros, em São Paulo. O jogador de 25 anos derrotou o compatriota Daniel Muñoz de la Nava com parciais de 6/2, 3/6 e 7/6(4), após salvar dois match points.

Cervantes é o primeiro campeão invicto da história do torneio e embolsou US$ 91.200 de premiação, além de 125 pontos no ranking mundial da ATP, deixando o espanhol perto do top 70. Este foi o quarto título dele em 2015, após os troféus em Ostrava (República Tcheca), Vicenza (Itália) e Marburg (Alemanha).

“Havíamos nos enfrentado há quatro dias. Acho que eu tinha um pouco mais de pressão porque havia vencido quatro jogos e ele dois, porque não precisou jogar a semifinal (Muñoz avançou por abandono do argentino Guido Pella). Como eu havia vencido na quarta, acho que tinha mais pressão. Fico muito feliz de ter vencido uma final tão importante e especial”, afirmou Cervantes.

O espanhol é apenas o terceiro jogador da história a vencer 50 jogos em uma temporada. Os outros foram o sérvio Boris Pashanski (51 em 2005) e o argentino Carlos Berlocq (57 vitórias em 2010). “Esses números dizem que foi um ano excelente para mim. Há dois anos eu estava numa cadeira de rodas sem poder jogar tênis e andar, por causa de duas operações no quadril. Agora estou com eu melhor ranking. Ano que vem quero objetivos ainda maiores e espero seguir melhorando”, comentou.

Após um primeiro set tranquilo, Cervantes viu Muñoz de la Nava melhorar bastante na partida e chegar a sacar para o título em 5/4 no terceiro set. Porém, o campeão salvou dois match points neste game e levou a melhor no tiebreak decisivo. “Tênis é muito difícil. No primeiro set parecia que seria um jogo fácil para mim, 6/2. Estava bem tranquilo e Daniel errando mais que o normal. Porém, uma quebra no segundo set mudou o jogo e no terceiro set salvei match points, mas pude recuperar e ganhar este jogo, que significa muito para mim”, analisou.

O campeão revelou que passou por sua cabeça quando Muñoz esteve a um game do título. “Só pensava em obrigar Dani a ganhar o jogo. Todos ficamos nervosos nesses momentos, até Federer, Nadal e Djokovic”, disse Cervantes. O espanhol treina na comandada por Javier Ferrer, irmão do top 10 David Ferrer, em Javea.

Mesmo decepcionado com o resultado, Muñoz de la Nava reconheceu os méritos de seu compatriota. “Parabéns a Iñigo pela grande semana. É um grande companheiro de circuito e realmente teve um ano espetacular, muito sólido. Hoje foi uma final que poderia ter ido para qualquer lado, acabou sendo melhor para ele e foi merecido”, declarou o vice-campeão.